4ª edição do Latinidades começa dia 23

Festival se consolida como importante espaço de discussão dos direitos das mulheres e reúne especialistas para discutir a situação da mulher negra no mercado de trabalho.

Além de debates, seminários, programação cultural e desfile de moda, o evento será palco do lançamento da Campanha Nacional Pela Eliminação da Violência Contra a Mulher com a participação da cantora Margareth Menezez, que fará um grande show de encerramento, celebrando o Ano Internacional dos Afrodescendentes.

De 23 a 25 de novembro de 2011 a produtora social Griô Produções realiza, no Expobrasília Parque da Cidade, em Brasília, a 4ª edição do Latinidades – Festival da Mulher Afro Latino Americana e Caribenha. O evento integra a programação da Conferência de Desenvolvimento – CODE/IPEA. No dia 25/11, o encerramento acontecerá, a partir das 19h, com um desfile em homenagem as orixás femininas, Rádio Afrolatina e show da cantora baiana Margareth Menezes. Para saber mais acesse o site http://www.afrolatinas.com.br/.  Todas as atividades são gratuitas.

A edição 2011 tem como tema “Mulheres Negras no Mercado de Trabalho”, com as mesas  “Desigualdades de gênero e raça no mercado de trabalho”, “Trabalho Doméstico”, “ Pesquisadoras Negras”, “Previdência Social”, “Linhas de crédito e incentivos aos afro- negócios” e “Trabalhadoras do campo”. As inscrições podem ser feitas no site http://www.ipea.gov.br/code

 A homenageada será Dona Raquel Trindade, artista plástica, dançarina, coreógrafa, poetisa e mestra griô. O projeto foi pensado como forma de dar visibilidade ao histórico de lutas e resistência da mulher negra na América Latina e trazer temas relacionados ao machismo, racismo, sexismo e superação de desigualdades, com recorte de gênero e raça.

 A homenageada

Raquel Trindade Souza é a filha mais velha do grande poeta negro Solano Trindade. Pintora, dançarina, coreógrafa, grande conhecedora da história e cultura afro-brasileira, é considerada uma das maiores memórias vivas no Brasil. Fundadora do Teatro Popular Solano Trindade e da Nação Kambinda de Maracatu, sempre ministrou cursos e oficinas livres por todo o país, principalmente no Embu das Artes, São Paulo, onde segue enraizada.

 SERVIÇO:
4ª edição do Latinidades – Festival da Mulher Afro Latino Americana e Caribenh
Realização: Griô Produções e Pretas Candanga
Patrocínio: Petrobrás
 Apoio: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA, Secretaria de Cultura do DF, Central Única dos Trabalhadores – CUT, Onu Mulheres, Sindicato dos Professores do DF – Sinpro, Associação dos Servidores do Ministério Publico Federal – ASMPF, Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades – CERT e Triskelion Produções.
 Data: De 23 a 25 de novembro de 2011
 Local: Expobrasília, no Parque da Cidade (Parque da Cidade Sarah Kubitschek Pavilhão de Exposições Estacionamento 1)
*Inscrições gratuitas no http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_jforms&view=form&id=15

 Confira a programação completa: http://www.afrolatinas.com.br/

*Para participar dos seminários é imprescindível a inscrição no site da 2ª CODE/IPEA
Contatos: (Coordenação) – 61 7814-2907/3046-0050 (Imprensa) – 61 9815-2087

Redes sociais:
Página no Facebook:  Griô Produções
Twitter: @Afrolatinidades
Teaser no Youtube:  http://www.youtube.com/user/GrioProducoes#p/a/u/2/ELACy7yFQig 

 SHOW de encerramento:  MARGARETH MENEZEZ
Data: 25 de novembro de 2011
Horário: A partir das 19h
Ingressos: Entrada gratuita
Classificação Indicativa: 15 anos

PROGRAMAÇÃO 2011 –  23 a 25 de novembro

Leia mais deste post

Anúncios

Crack é tema de debate em Brasília

No dia 11 de junho, o auditório do Museu da República será palco do debate “Crack, violência e ressocialização por meio da cultura hip hop”. Representantes do governo, entidades do terceiro setor, parlamentares e músicos – rappers de renome nacional – participarão do evento.

Atualmente, cerca de 600 mil pessoas são dependentes de crack, somente no Brasil. Cinco vezes mais potente que a cocaína – mais barato e acessível que as demais drogas – o crack tem sido cada vez mais consumido, entre pessoas de diferentes classes sociais. O crescimento assustador no consumo da droga será será abordado na capital federal.

No dia 11 de junho, o Museu da República será cenário do debate “Crack, violência e ressocialização por meio da cultura hip hop”. O evento tem início às 15h30, no auditório do local. Participam da discussão: Dexter, Mano Brown, GOG, deputado Protógenes, deputada Erika Kokay, a Sociedade Organizada contra o Crack e representantes do Governo do Distrito Federal. Sabrina Horário Faria, do Coletivo Pretas Candangas, será a mediadora do evento.

O evento tem apoio do Governo do Distrito Federal, em especial da Secretaria de Estado de Cultura e da Secretaria de Estado de Juventude do DF, e é uma ação organizada coletivamente com entidades e produtoras da cidade ligadas à cultura hip hop.

Serviço: Debate “Crack, violência e ressocialização por meio da cultura hip hop”
Convidados: Dexter, Mano Brown, GOG, Deputado Protógenes, Sociedade Organizada contra o Crack e representantes do Governo do Distrito Federal.
Mediação: Sabrina Horário Faria, (Coletivo Pretas Candangas)
Data: 11 de junho, às 15h30
Local: Auditório do Museu Nacional do Conjunto Cultural da República
Entrada franca.